17/07/2020

Pandemia pede olhar mais humanizado aos funcionários e potencializa adaptações

Segundo Luciana Andreotti, da 99, e Erica Jannini, do QuintoAndar, pandemia fez crescer a atenção à saúde mental e acelerou adaptações ao ambiente digital

A pandemia do novo coronavírus revelou – mesmo que de maneira forçada – uma nova forma de trabalho. A adaptação ao home office vem gerando desafios não só aos funcionários, mas também à area de Recursos Humanos das empresas. A quarta live da série “Aprenda com os Unicórnios” foi realizada nesta quarta-feira (15) e contou com a presença de Luciana Andreotti, head de RH Brasil da 99, e Erica Jannini, diretora de pessoas do QuintoAndar. O bate-papo abordou a gestão de pessoas durante o momento atual e os aprendizados da pandemia.

Durante o mês de julho, a série organizada e transmitida por Pequenas Empresas & Grandes Negócios traz temas que envolvem o impacto da pandemia no ecossistema das startups, bem como oportunidades geradas pela crise, sempre contando com fundadores e líderes de startups que atingiram a avaliação de mercado de pelo menos US$ 1 bilhão.

As profissionais contaram que nunca haviam adotado um regime de home office em que toda a empresa trabalhasse remotamente. Luciana Andreotti, da 99, salientou que os colaboradores estão trabalhando em condições muito distintas, seja por precisarem cuidar dos filhos, pela conexão de internet falha ou até pela falta um cômodo ideal para utilizar como escritório. Ela explicou que o departamento de RH está entendendo este momento e buscando formas melhorar a situação de cada profissional.

A head de RH apontou que a humanização está cada vez mais presente nas empresas, e que a 99 teve de estruturar processos que ainda não tinha. A empresa buscou formas de dar suporte aos funcionários no que diz respeito à manutenção da saúde mental, com aulas de ioga, meditação e alongamento. Além disso, passou a promover bate-papos sobre assuntos consequentes do cenário atual, como a perda de entes queridos e o medo gerado pela pandemia.

Érica Jannini, diretora de pessoas do QuintoAndar, contou que o RH da empresa já vinha analisando as transformações nas relações de trabalho decorrentes da falta de proximidade física. “Conseguimos estar próximos e escutar os funcionários”, disse. A startup também ofereceu cursos de ergonomia, por exemplo, e está dando ajuda de custo para cobrir as despesas geradas pelo home office.

Startups e aceleração da cultura digital

Como startups, a 99 e o QuintoAndar dominam a tecnologia e utilizaram a presença que têm no ambiente digital a favor da adaptação – necessária em diversos departamentos. Luciana contou que alguns processos, como o de onboarding, tiveram de ser reestruturados para a realização de maneira 100% online.

Érica afirmou que a cultura digital da startup contribuiu para a adaptação mais rápida e efetiva ao trabalho remoto por parte dos times.

A reinvenção do RH

“Essa adaptação ao momento online acelerou muita coisa. Por mais que a gente tivesse a prática localizada de home office e trabalho à distância, isso foi potencializado”, constatou a head de RH Brasil da 99. Para ela um dos aprendizados para o setor de recursos humanos é exercitar o olhar mais coletivo e não tão departamentalizado.

Já para a diretora de pessoas da QuintoAndar, a pandemia é uma complexidade a mais no entendimento e na resolução de problemas da empresa. Como exemplo, citou a rapidez com a qual a startup criou ferramentas para substituir as visitas presenciais aos imóveis por visitas completamente digitais. Além disso, ressaltou o grande desafio que as empresas têm de desvendar como será o mundo no futuro.

Fonte:https://revistapegn.globo.com/Startups/noticia/2020/07/pandemia-pede-olhar-mais-humanizado-aos-funcionarios-e-potencializa-adaptacoes.html